contintas
megacell
Artigos que valem a pena ler
Segundo à Polícia , não há como mensurar tamanho da quadrilha

Segundo à Polícia , não há como mensurar tamanho da quadrilha

access_time 24 de abril de 2017

O Major José Osmar Novach, do 5º CRPM (Comando Regional da Polícia Militar), conversou na noite desta segunda-feira (24), com

Tradicional festa em comemoração ao Dia das Crianças será neste sábado em Santa Terezinha de Itaipu

Tradicional festa em comemoração ao Dia das Crianças será neste sábado em Santa Terezinha de Itaipu

access_time 18 de outubro de 2018

A administração municipal de Santa Terezinha de Itaipu promove neste sábado, 20 de outubro um grande evento às crianças, a

Homem é morto a tiros em Foz do Iguaçu

Homem é morto a tiros em Foz do Iguaçu

access_time 20 de janeiro de 2020

Um homicídio foi registrado na noite de ontem, por volta de 20h40, na Rua Arthur Texdorf, quase cruzamento com a



Empresário de São Miguel é alvo de operação do MP e DECOR

Empresário de São Miguel é alvo de operação do MP e DECOR
access_time 7 de abril de 2021 chat_bubble_outline 0 comentários

A Polícia Civil do Estado do Paraná (PCPR) e o Ministério Público do Paraná (MPPR) estão nas ruas, desde as primeiras horas desta quarta-feira (7), para cumprir 21 mandados de busca e apreensão em endereços relacionados a suspeitos de fraude a licitações, em Santa Helena, no Oeste do Estado.O prejuízo aos cofres públicos é superior a R$ 6 milhões. As ordens judiciais estão sendo cumpridas naquele município e em São Miguel do Iguaçu, na mesma região.

As investigações, conduzidas pela Divisão Estadual de Combate à Corrupção da PCPR, tiveram início em agosto de 2020, após um pedido do Núcleo de Foz do Iguaçu do Grupo Especial na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa do MPPR, que noticiava supostos crimes de fraude a licitações praticados por um ex-secretário do Município de Santa Helena e seus familiares. Eles estariam usando empresas fantasmas para burlar o processo licitatório e usar o dinheiro público para benefício próprio.

De acordo com as investigações, além do favorecimento, houve superfaturamento dos valores pagos, assim como produtos que não teriam sido entregues na quantidade devida ou que foram desviados para a organização ou fins políticos.

Também, integraria o mesmo grupo criminoso um empresário de São Miguel do Iguaçu, no Oeste do Estado, que é suspeito de envolvimento em fraudes a licitações ocorridas em outros municípios da região.

Fonte: CGN

 

Sem comentários

comment Sem comentários ainda

Você pode ser o primeiro a comentar!

Envie uma comentário

Deixe seu comentário